O maior medo da humanidade

Hoje vamos falar sobre a glossofobia: o mais temido medo do ser humano.

ūüö® Alerta para conte√ļdo sens√≠vel

O grande vilão que vamos falar na aula de hoje assombra a vida de muita gente quando o assunto é exposição. Afinal, essa fobia traz à tona um sentimento de que se eu travar e perder minha autoconfiança em uma apresentação, tudo se resumirá em julgamento, não aceitação, vergonha e fracasso.

 

E antes de mais nada, é importante você saber que não está sozinho(a) nessa.

O¬†medo de falar em p√ļblico¬†√© um sentimento presente em milh√Ķes de pessoas no mundo (provavelmente voc√™ j√° sabia disso).

Não é porque somos uma escola de comunicação e oratória, mas podemos garantir que a maior parte das 5.000 pessoas que já impactamos com nosso método tiveram noites perdidas de sono por conta dessa ansiedade e pelo medo da exposição.

Inclusive, um estudo realizado com mais de 3 mil ingleses e publicado pelo jornal brit√Ęnico Sunday Times, revelou que o¬†medo de falar em p√ļblico¬†√© o mais temido do¬†ser humano¬†(41%), muito¬†maior que¬†o de ter problemas financeiros (22%), ficar doente e, inclusive, de¬†morrer¬†(19%).

Louco, n√©? O ser humano tem mais medo de falar em p√ļblico do que da morte.¬†

Mas n√£o para por a√≠, outra pesquisa da Universidade de Chapman, tamb√©m indicou o¬†medo de falar em p√ļblico¬†como o mais presente entre os entrevistados, cerca de 25%.

Isso significa que, assim como voc√™, muita gente sofre os sintomas do¬†medo de falar em p√ļblico, mas ao mesmo tempo, buscam uma f√≥rmula m√°gica que traga a¬†coragem¬†(quem pegar a refer√™ncia da aula passada, est√° um passo √† frente) necess√°ria para superar a ansiedade¬†e¬†vencer o medo.¬†Para saber¬†como superar¬†o¬†medo de falar em p√ļblico, antes¬†√© preciso¬†entender¬†de onde vem¬†esse medo, ou seja, qual sua origem e o¬†motivo¬†pelo qual isso acontece.

E a grande raz√£o de sentirmos esse¬†medo de falar em p√ļblico¬†√© que uma parte do nosso c√©rebro, a mais primitiva, foi projetada para ‚Äúfugir ou lutar‚ÄĚ (falamos sobre esse tema nas primeiras aulas, lembra?).

 

Vamos recapitular.

 

O nosso c√©rebro mais instintivo, chamado reptiliano, foi programado desde os nossos ancestrais para se proteger de amea√ßas (aqui √© importante ressaltar que eram amea√ßas reais¬†‚ÄĒ um le√£o correndo em sua dire√ß√£o, por exemplo)‚Ķ Encarando os medos ou fugindo deles.

Nesse momento de amea√ßa, o c√©rebro faz com que seu corpo ative um horm√īnio chamado adrenalina, que faz aumentar o batimento card√≠aco, justamente para voc√™ correr (na fuga) ou brigar (na luta).

Acontece que, no momento de falar em p√ļblico, voc√™ est√° al√≠, parado diante de uma plateia, o que faz toda a energia da adrenalina estancar, causando rigidez muscular, suor, tremedeira, etc., ou seja, uma baita sensa√ß√£o de desconforto.

Isso significa dizer que o nosso corpo acaba respondendo a tudo que est√° se passando em nossa cabe√ßa. Por exemplo, se, diante de uma plateia voc√™ trouxer √† mente pensamentos como: ‚Äúvai dar branco‚ÄĚ, ‚Äúestou sendo julgado‚ÄĚ, ‚Äúo p√ļblico est√° disperso‚ÄĚ, ‚Äún√£o est√£o gostando do meu conte√ļdo‚ÄĚ, ‚Äúeles est√£o vendo que estou nervoso‚ÄĚ, ‚Äúestou gaguejando e corado‚Ä̂Ķ Seu corpo automaticamente ir√° despertar em voc√™ sentimentos como inseguran√ßa,¬†ansiedade,¬†vergonha, e o nosso grande vil√£o, o¬†medo.

Justamente por conta disso, tantas pessoas como voc√™ t√™m buscado ferramentas (ou seja, habilidades) que possam auxiliar no momento da “luta”.

Mas será que é possível perder esse medo? Com certeza não.

Muita gente nesse mundo ainda acredita no mito de que o medo de falar em p√ļblico pode desaparecer com algumas aulas; e a√≠ vem o primeiro engano, o medo faz parte da natureza humana, e ele √© essencial para a nossa sobreviv√™ncia, assim como falamos agora a pouco, no momento em que nos percebemos diante de uma amea√ßa, ele nos protege.

Ent√£o, se pararmos para pensar…

O mesmo medo que nos paralisa ao falar em p√ļblico √© uma ferramenta de sobreviv√™ncia projetada para nos manter em seguran√ßa?

Exatamente isso!

Ent√£o o que fazer para esse medo n√£o atrapalhar sua vida?

O que pode ser feito para superá-lo? 

 

Quem √© aluno Aptitude j√° conhece (vale relembrar), mas para voc√™ que ainda n√£o √© aluno, aqui v√£o as 3 etapas que te ajudar√£o a dominar o medo de falar em p√ļblico.

 

1. Sua mente é quem comanda o jogo 

Você precisa desenvolver as habilidades comportamentais que focam em potencializar o que já existe de ponto forte na sua comunicação, e com isso trazer mais autoconhecimento, autoconfiança e atitude.

 

2. N√£o adianta s√≥ falar, √© preciso ter conte√ļdo

√Č necess√°rio aprender ferramentas que te ajudam a organizar o que falar de forma assertiva, impactante e objetiva.

 

3. Por fim, mas não menos importante é preciso saber se expressar

Aprender as melhores t√©cnicas para se expressar com consci√™ncia da sua linguagem corporal te ajudar√° a construir mais confian√ßa e saber como conduzir com mais clareza e assertividade suas apresenta√ß√Ķes.

 

Ponto fundamental para sua evolução

Incluir a comunica√ß√£o na rotina √© uma forma poderosa de ressignificar suas habilidades. Ou seja, aproveitar pequenas reuni√Ķes, almo√ßos em fam√≠lia, anivers√°rios, momentos de networking, redes sociais como oportunidades de falar em p√ļblico, porque isso faz com que voc√™ j√° se coloque em uma situa√ß√£o que pode ser desafiadora, domimando cada vez mais esse¬†medo.

Aqui na Aptitude chamamos isso de Estilo de Vida Comunicativo.

Quanto mais voc√™ colocar a comunica√ß√£o em pr√°tica no seu dia a dia, mais seguro(a) voc√™ se sentir√° no momento chave de se apresentar. Por isso, agarre toda a oportunidade que passar na sua frente e torne o¬†medo de falar em p√ļblico¬†cada vez menor.

 

Ainda não é aluno(a) da Universidade e quer aprofundar seus conhecimentos e adotar um estilo de vida comunicativo?

Compartilhe:

Copyright © 2023. Todos os direitos reservados.